terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Sobre o saber...

Cresci ouvindo a "tia" da escola dizer a classe sempre que riam da opinião de um coleguinha na classe: "Turma, ele não está errado. Não há saber mais ou saber menos, há saberes diferentes". Paulo Freire, em sua imensa sabedoria traduziu em uma única frase a nossa realidade, também abordada pela querida Martha Medeiros em seu texto "Vende Frango-se", publicado no seu livro "Doidas e Santas", que pode ser visto nessa belíssima interpretação da Cássia Kiss aqui
A gente vê nos erros a verdadeira face dos humanos, tantas vezes escondidas por várias máscaras que o mundo nos pede. Nos erros vemos a real da pessoa, sua ingenuidade, ou sua malícia. São os erros que movimentam a vida. Não saber lidar com eles é estar condenado a um inferno criado na nossa mente. 

O saber nasce dos erros, da busca incensante pelo crescimento. Há saberes importantes para nosso desenvolvimento, mas há aqueles nocivos também. Acredito que nem tudo nessa vida nós temos a obrigação de saber. Se é pra nos fazer mal pra que correr tanto atrás das respostas que muitas vezes já foram dadas no silêncio ou com um simples olhar? 
Pra que insistir nessa mania errônea de querer ter sempre razão, se achar que sempre sua vida é uma novela e que você é o protagonista que só sofre. Não há vilões, não há mocinhos nem mocinhas no agridoce jogo da vida, meus caros.  

Pra que insistir no velho ditado "Tá cuspindo no prato que comeu" quando se vê alguém torcendo o nariz pra algo que passou na sua vida?! Se me fez mal eu cuspo SIM. Não sou obrigado a manter dentro de mim coisas que me fazem mal, e considero idiota ou louco aquele que não cuspa, ou quem sabe seja masoquista, vai entender. São tantos gostos, tantos desejos, tantas idéias soltas nesse mundo afora... Adoro e respeito essa diversidade que tanto me engrandece e tanto me ensina.

Pra que perder tempo metralhando com olhares maldosos algum conhecido que está almoçando na mesa vizinha se é tão mais doce e bonito conhecer e se permitir desmistificar a imagem que foi criada ou construída  por pessoas próximas?! Conhecer a verdade de cada um, mesmo que não seja condizente com a sua verdade, pelo simples fato de agregar valor a si e ao próximo. O crescimento é nítido nessa troca de informações. Nunca só se ensina, nunca só se aprende. Todos nós deixamos algo de nós com os outros e levamos algo deles conosco. 

Isso é vida! É permitir-se, doar-se, conhecer, abrir mão, ser humilde. É isso que nos humaniza, nos enobrece, nos torna mais humanos do que já somos. O saber que muito pouco sabemos, e que não há certo ou errado, há saberes diferentes.

Um comentário:

  1. Nao conhecia essa leitura dramatizada dessacrônica. Adorei

    ResponderExcluir